4 de fev de 2012

Cores Vivas

Meu pai, que faria 80 anos hoje, tinha um caderno de letras de música (ah, a genética...), mais precisamente de tangos, cuja epígrafe era "se se pudiera pintar la musica, el tango tendría todos los colores del arco-íris". Pesquiso e pesquiso no Google e não encontro nenhuma menção à frase (exceto escrita por mim mesmo). Mas encontrei essa:

Si yo tuviera que pintar el Tango, los colores con los que simbolizaría el Tango, serían el rojo y el negro. Porque hablar de Tango es hablar de encuentros y desencuentros, de amor y muerte, de argumentos viejos como el tiempo llevados al Tango. (http://maitemaine.galeon.com/carta_4.htm - grifo nosso, por supuesto).

Tá certo, um tango rubro-negro seria uma boa homenagem. Na ausência, Volver, que alguém por aí já disse (chega de Google!) ser o maior tango de todos.

Quanto à escolha de imagens, eu também não entendi, mas afinal "Poesia não é para entender, é para incorporar. Entender é parede. Procure ser uma árvore." (Manoel de Barros)


2 comentários:

  1. Estou apaixonada por este blog, mas este post aprofundou meu afeto. .. Desvelar um lado, desconhecido por mim, do meu querido tio Itê, primeira partida que me deixou saudades. Ele deve estar bem contente, agora com um novo caderno, com as músicas e escritos do filho. Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir