13 de mar de 2012

8 de mar de 2012

Cores, gêneros (links em inglês)



Já andei lendo sobre como a escolha de cores para roupas de meninos ou meninas é determinada pela cultura de cada época. Há quem discorde


E há quem mostre que em 1927 nos Estados Unidos, as opiniões acerca do rosa/azul menino/menina eram bem divididas, e assunto para pesquisa da revista Time


Na verdade há blogs e livros inteiros sobre o assunto, como sobre quase tudo, aliás, para o bem e para o mal.

Hoje vi esse post que fala do assunto a partir do blog de uma finlandesa vivendo na ArábiaGlobalização é isso aí. 


Ah, o nome do blog, por sinal é blue abaya. Abaya é um tipo de roupa tradicional das mulheres árabes, vejam aqui.

2 de mar de 2012

À mancheia

cartaz de programa de incentivo à leitura
do tempo do New Deal
Tudo bem, ainda que março seja um mês longo (talvez por causa do calor, ou do fim das férias), os livros que  eu sempre quis ler não cabem em 31 29 dias.


Mas é sempre uma boa resolução de Ano-Novo.



1 de mar de 2012

Morre Lucio Dalla

Subiu hoje o compositor e cantor italiano Lucio Dalla, aos 68 anos, após um infarto. 

Dalla era para mim apenas um nome em letra miúdas no selo do LP Construção, de Chico Buarque, naquela galáxia distante do princípio dos anos 70, a identificar o compositor da canção italiana de que Minha História é versão - cujo título original é a data de nascimento de Dalla.

Muitos anos depois adquiri um CD de sucessos de Dalla e passei a admirar demais seu estilo com letras inteligentes e sonoridade calcada nas origens italianas com adição de elementos do rock e do pop. Como tantos de nossos compositores.

Em 79, ele gravou L'Anno che verra (Ano que vem), que, já a partir da primeira frase, Caro Amigo ti scrivo, ecoa o Meu Caro Amigo de Chico e Francis Hime. Em ambas as canções, a novidade é que tudo está na mesma: Aqui na terra tão jogando futebol / L'Anno che sta arrivando tra un anno passerá. No caso da letra de Chico Buarque, a suposta falta de novidades expunha a censura do regime militar. Na canção de Dalla, o clima político conturbado da Itália à época, e o desencanto com os caminhos da midiática sociedade do espetáculo (há mais de 30 anos...).
Link para a letra com tradução, embora mesmo eu com meus três fascículos de curso de idiomas globo de italiano tenha achado trechos duvidosos, mas dá para ter uma ideia.

Outra amostra do canto crítico de Dalla, já traduzida por mim mesmo:

Entretanto os peixes / dos quais descendemos todos / atentos assistiam ao drama coletivo deste mundo / que a eles sem dúvida devia parecer mau / E começaram a pensar / No seu imenso mar / Como é profundo o mar...
E claro que pensar cansa / Mesmo se quem pensa / É mudo como um peixe / Na verdade é um peixe / E, como peixe, difícil de barrar / Porque o protege o mar / Como é profundo o mar...
Óbvio que os que mandam / Não se dispõem a distinções políticas / O pensamento, como o oceano / Não se pode barrar / Não se pode cercar / Assim, estão queimando o mar / Assim, estão matando o mar / Assim, estão humilhando o mar / Assim, estão batendo o mar
Como é profundo o mar...


A roda de violão vai ser boa hoje no andar de cima.


Foi quando um velho levantou-se da cadeira e saiu assoviando uma triste melodia

Gilberto Gil sobre música e etc. Trecho:

Ah, sim, meter o pé no freio, desacelerar. Um pouco. Eu tenho a impressão de que é a tendência. Agora, de novo, a velha história. Fica aquela questão que os ecologistas trouxeram de forma muito pertinente nos últimos tempos: "Vai dar tempo?". Essa é a grande questão. Não estaríamos já tão acelerados que não teríamos mais condições de pisar o pé no freio sem capotar? Essa é uma pergunta que eu cada vez me faço mais. Os adeptos do conservadorismo produtivista, industrialista, etc., tentam encobrir, mas as especulações que a ciência vem fazendo na moita, em relação a essa questão global, do ponto de vista ecológico, mostram que tanto do ponto de vista ecológico, como do ponto de vista sociológico, econômico, nós estamos numa...
Encruzilhada?

Não, a gente tá numa enrascada! Na encruzilhada, você diz: eu ainda vou pro lado ou pro outro, estou andando! Na enrascada você está meio preso, numa travada braba, acelerou tanto, ia tão picado que não viu a encruzilhada! (risos) Vai ter que voltar atrás.


Entrevista em duas partes. 
Gostei mais da segunda, que fala mais de música.
Quem quiser, lá tem um link pra primeira.

Que canção de Gil pôr aqui?
A primeira que veio na cabeça.