15 de jan de 2012

Chico disco a disco

Cassia, do Musiqueria, está no segundo post em seu desafio de publicar videos de todos os discos de Chico Buarque. Sorte nossa.

Por minha vez, a música do Chico com que acordei hoje na cabeça (tem sempre uma...) foi A Ostra e o Vento, do filme,
aqui na versão de Ná Ozetti e André Mehmari,





cuja melodia originou-se de um tema com que Chico embalava o neto Chiquinho (vai, Chiquinho, vem, etc).

Já a letra tem requintes e quitutes vários:
  • rimas no início dos versos (li uma vez num lugar que não vou googlar que isso é coisa de Rimbaud, corrijam-me aí): cai/vai/raia/pai/paisagem/paira  - vem/tem/meu bem
  • delicadas rimas assonantes (?), das que ele vem cultivando cada vez mais nos últimos discos - ralha/folha, nome/perfume, caramujo/estojo, peixe/mexe
  • uma frase que parece tirada de um livro de García Márquez (ou de Chico Buarque):  "Jogada num quintal, enxuta, a concha guarda o mar no seu estojo"
  • inversão de sonoridade criando aliterações (ou algo assim): conceda/descansar. Exemplo em O Velho Francisco, entre duas estrofes: cobertor comida roupa lavada/tive terra arado cavalo e brida. Ou será que só eu escuto essas coisas, depois de cantar oitocentas vezes a música?

2 comentários:

  1. Sem querer, acabei descobrindo esse seu post, citando meu blog. Que bacana!
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cassia!
      Eu venho lendo o Musiqueria há algum tempo, mas nem sei mais como cheguei lá.
      Ótimo trabalho, continue!

      Excluir